A giárdia da curiosidade.

Tenho uma satisfação inexorável por coisas, pessoas e sensações que me atiçam a curiosidade.
É inebriante. Renovador.
Como num livro em que cada página te preenche com um mundo novo a ser explorado.

Ela mata essa eterna sensação de marasmo que é tentar existir todos os dias dentro da mesma pele, Morar anos e anos na mesma rua.
Curiosidade é o antônimo do tédio. Curiosidade é o que move o mundo, o que desperta paixões, transforma amizades, revela segredos, promove descobertas.
Sem curiosidade não existiria ciência, não existiria filosofia.
Quando sinto falta da infância, é exatamente a menina curiosa quem me provoca a nostalgia
Saudades da criança cheia de perguntas com um munto inteiro a ser desvendado.

Aliás, nesse nosso mundo atual tão cheio de redes e câmeras, virou uma espécie de qualidade não ter nenhum interesse pelos outros.
"Eu apenas cuido da minha vida" você fala com ares de superioridade.
Sim, eu cuido da minha vida, e cuido da sua também. Porque preciso dela, me alimento dela.
Vasculho cada detalhe, observo cada reação, comentário, rede, postagem, filmes, hábitos...
Tal qual o caçador observando a presa, ou o pesquisador diante de um experimento.
Mais ainda
Tal qual o verme que existe sugando a essência do outro ser vivo.
e quanto mais curiosidade me despertam, mais parasita me torno de realidades alheias.

Stalkeio por puro prazer de explorar o desconhecido.
Cada um é um universo particular, um oceano de manias, fantasias, futilidades, neuroses, repulsas e segredos.
Navegar essas águas escuras me dá um prazer indescritível.

Mas, sim, alguns universos são mais interessantes que os outros. É verdade
Os que me dão a sensação de déjà-vu pouco me interessam. Prefiro me deter naquilo que nunca vi (algo cada vez mais raro).
Quando encontro um que me desperta curiosidade genuína eu aporto, acampo, faço morada, me alimento, tento prever cada mudança, cada mínima reação à minha súbita chegada.

Mas, não, por favor, não se sinta invadido.
a riqueza de seu mundo interno renova minha curiosidade. Minha dádiva.
E é ela quem mantém a minha sanidade depois de tantos anos de sobrevivência na minha mente tediosa e solitária.
E por isso, honestamente, meu muitíssimo obrigada.