O limite do amor próprio.

















O mal do mundo é o tal do narcisismo.

Duvida? Pode conferir:

Nem todo chato é narcisista, mas todo narcisista é chato;
Nem todo cafajeste é narcisista, mas todo narcisista é cafajeste;
Nem todo carente é narcisista, mas todo narcisista é carente;
Nem todo mentiroso é narcisista, mas todo narcisista é mentiroso;
Nem todo egoísta é narcisista, mas todo narcisista é egoísta...

E por aí vai.

Todo narcisista merece um puxa-saco, e todo puxa-saco precisa de um narcisista.
dentre os dois, não sei quem é o pior.
Talvez o narcisista, uma vez que sem ele, o puxa-saco perde sua utilidade.
Já um bom narcisista, aquele patológico, muitas vezes continua se superestimando mesmo sem nenhum bajulador por perto, ele mesmo se basta nos seus devaneios de grandeza.

Pior que um único narcisista, só mesmo uma sociedade narcísica, como a nossa. Uma infinidade de adultos bebês chorões, berrando por atenção nas redes sociais, nas filas do banco, nos aeroportos, nos restaurantes... Porque todo mundo é importante demais pra não ser tratado como "cliente especial", todo mundo é único demais pra esperar calmamente a sua vez, sem precisar reclamar.
Líderes narcisistas são sempre os piores, até personagens religiosos e mitológicos, desta estirpe, também são execráveis:

Luis XIV, Napoleão, Hitler, Bush, Caim, Lúcifer e até o próprio Narciso...

E o que é um psicopata, senão um narcisista quando em primeira instância?

Claro que é bom ter amor próprio, mas como tudo que é sensato nessa vida, até autoestima tem limites.

Ou seja, caro leitor, se você é chegado num relacionamento sério com seu superego defeituoso, favor mantenha à distância.

Grata. Passar bem.

Teste

Para saber mais

Nenhum comentário: