No escurinho do armário

Esse é um post sobre sexualidade, mas antes, vamos falar de um tópico interligado:
Vamos falar de segredos.

Eu tenho, você tem, todos tem.
Amo meus segredos, são só meus, de mais ninguém.
Ninguém quer saber deles, e eles vivem dentro de mim quietinhos, me fazem rir, me divertem, e às vezes até me inspiram...
Não tenho vergonha dos meus segredos, que só são segredos porque - só assim - são mais interessantes, se deixarem de ser segredos, não vai fazer nenhuma diferença... O mundo não vai mudar.
Se alguém descobrir meus segredinhos, no máximo vai me olhar com cara de tédio e dizer:
"Grande coisa, qual é a graça?"
Mas eu sou assim. Um tédio. E gosto de ser.
Porém o mais importante é:  Meus segredos não precisam de outras pessoas para serem mantidos a qualquer custo. Não prejudicam ninguém.

Toda essa metáfora foi pra ilustrar um mal moderno, que acomete várias pessoas com as quais eu convivi e convivo atualmente, gente que vive de aparências, de status, do que a sociedade vai pensar. Gente que tem medo de se libertar, de se entregar...

Portanto, vou falar abertamente o que não é segredo pra ninguém: Amo meus amigos gays, bi, homo, hetero, pansexuais e acho que cada um faz/ama/dá/sente/beija/chupa/morde/entrega/agarra o que quiser... nada é ruim, nada é censurável, nada é proibido, nada é nojento...

Só o preconceito é proibido. Censurável, e acima de tudo: Nojento.
E pior que o preconceito com o outro é o preconceito com si mesmo.

Não sou gay, assim como não sou ruiva ou negra, Se eu tivesse nascido negra, seria negra. Se eu tivesse nascido gay, seria gay, mas não sou. Ser gay NÃO é uma escolha. Porque apesar de todas as campanhas e movimentos em prol da causa, ainda é tão complicado ser e assumir-se gay, que se fosse algo controlável, como apertar um botão "liga e desliga", ninguém escolheria viver o preconceito desse nosso mundo hipócrita. É preciso ter orgulho e confiança em si, pra sair do armário, sem dar a mínima pro lixo do ser humano "médio" que insiste em julgar... (ainda é preciso, infelizmente).

Amo todos gays assumidíssimos desse nosso mundo um pouco mais moderno... Mas, o que não consigo suportar é gente gay que prefere viver no escuro quentinho do armário, o tal do enrustido-praticante, mentindo pra si e pra sociedade e que insistem em relacionamentos com o sexo oposto achando que vão se "acostumar", achando que precisam "se adaptar". ISSO SIM É UMA ESCOLHA - péssima, por sinal - pra família e, acima de tudo, pras mulheres com quem alguns desses sujeitos resolvem se envolver para manter a farsa. Mulheres estas, que se apaixonam, sem ter ideia que são apenas um artefato, um objeto pra ser ostentado, um sustentáculo de uma mentira egoísta.

E não, isso não tem nada a ver com ser gay, tem a ver com ser sacana mesmo.
E sim, eu acho nojento, tenho preconceito e graças a esse texto, isso agora deixou de ser segredo.

Me processem.

Nenhum comentário: